A mais difícil das conquistas

Quando se vê
23 de janeiro de 2020

A mais difícil das conquistas

Quem um dia irá dizer que existe razão nas coisas feitas pelo coração?

E quem irá dizer que não existe razão?

(Renato Russo)

Sabe aquele cara, totalmente diferente de você? Ele é desinteressado, às vezes fala com a delicadeza de um tijolo sendo arremessado, diz que vai te ligar e não liga e você ama esse cara.

E aquela mulher, que acha que tem razão sempre, que finge que não te escuta quando não concorda com você, que bate o pé até que você faça o que ela quer, conhece? É essa mulher que você ama.

Vocês são totalmente diferentes um do outro, se tiram do sério constantemente, mas um não vive sem o outro e se amam na mesma proporção que se irritam.

Sabe por que? Porque nem o coração entende suas próprias razões. E esse relacionamento vai crescendo e se firmando e cada vez mais um quer ter o outro por perto. As diferenças se unem e se aprimoram, marcando uma sintonia inexplicável e vem aquela vontade de materializar essa união que se aperfeiçoa.

Por isso alguns casais querem usar as alianças de compromisso. Não é, ainda, um compromisso de que se casarão, mas é um compromisso e uma demonstração de que o amor está amadurecendo, e de que as vontades estão sendo moldadas entre si e caminhando em uma direção cada vez mais uníssona.

As alianças de compromisso, singelas, trazem consigo essa simbologia de algo que está sendo cuidadosamente construído, ainda que em meio a estrondos e desconstruções de cada um dentro do próprio relacionamento.

Elas demonstram que o relacionamento é importante, que não há intenção de algo passageiro. Trazem o compromisso de que cada passo será pensado e orquestrado para ser dado junto, mesmo que, nesse momento, cada um tenha ideais diferentes e sonhos individuais.

Ter uma aliança de compromisso simboliza que essa mulher é A MULHER e esse cara, mesmo com todos os defeitos e peculiaridades é O CARA, com quem você quer falar sobre seus anseios e dividir seus medos.

E esse não é um relacionamento qualquer, passageiro, ou um amor de carnaval, é algo tranquilo, ao mesmo tempo que te tira do prumo. Carlos Drummond de Andrade, classificou o namoro como a mais difícil das conquistas, e completa que quem não namora é alguém que tirou férias não remuneradas de si mesmo. E ele estava certo, pois para namorar, namorar mesmo de verdade, tem que saber a arte da conquista, a arte de descobrir o outro. Tem que querer se doar sem se doer para descobrir tudo aquilo que está submerso no mundo daquele que se ama.

Tem que ser criativo, ser palhaço, ser amoroso, ser paternal e maternal, ser brincalhão, ser bravo, e tudo isso em um combo perfeito e cheio de vontade de ser feliz.

Quando encontrar um casal de namorados usando uma aliança de compromisso, tenha certeza que ali há um casal que gosta de viver a arte da conquista e da descoberta da felicidade.